sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Isaías e o Deus Imanente

O que é imanência? É a relação de Deus com a sua criação.

Isaías não compreendia a imanência de Deus, e quando ele o viu pensou que iria morrer. Mas o Senhor não queria matá-lo. Deus queria mostrar-lhe que era um Deus imanente. Assim, ele teve a sua vida mudada.

Posteriormente deixa escrito: "Porque assim diz o Alto e o Sublime, que habita na eternidade, e cujo nome é Santo: Num alto e santo lugar habito; como também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos, e para vivificar o coração dos contritos" (Isaías 57.15).

Sim, o nosso Deus é um Deus transcendente, porém, também, é um Deus imanente e a corrupção como uma agência do pecado tem tentado privar a humanidade dessa bênção inaudita, que é a relação do ser humano com seus Criador, desde Caim até os dias de hoje.

Fonte: Mensageiro da Paz, nº 1555, dezembro de 2014, Rio de Janeiro (CPAD) via blog Belverede (http://belverede.blogspot.com.br/2015/12/um-pensar-teologico-sobre-a-corrupcao-do-pecado-gesiel-pereira-mensageiro-da-paz.html).

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

O sumo sacerdote, a estola, o urim e o tumim




A hora certa


Aproveite o que há de bom


A crucificação e seu efeito sobre nós

A crucificação de Jesus Cristo.




 "Lembra-te de mim quando entrares no teu reino" - Lucas 23.42.



"Ele mesmo levou em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, a fim de que morrêssemos para os pecados e vivêssemos para a justiça; por suas feridas vocês foram curados" - 1 Pedro 2.24.

Caiem e Abel

Ilustrações sobre o assassinato de Abel, registrado em Gênesis 4.1-16.





Ilustrações: o resgate do bebê Moisés das águas do rio Nilo





A onisciência do Senhor


terça-feira, 4 de agosto de 2015

Templo do Espírito






Chamados para influenciar

"Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida" - Provérbios 4.23.

"Filho meu, se o teu coração for sábio, alegrar-se-á o meu coração, sim, o meu próprio" - Provérbios 23.15.

"Não respondas ao tolo segundo a sua estultícia; para que também não te faças semelhante a ele" - Provérbios 26.4.

"E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará" - Mateus 24.12.

"Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem" - Romanos 12.21.

sábado, 25 de julho de 2015

O arco-iris na Bíblia Sagrada

Por Eliseu Antonio Gomes

O arco-íris, também chamado de arco da chuva no idioma  inglês, é o mais belo fenômeno meteorológico que conhecemos. É composto pelo conjunto de arranjos de feixes de raios de luzes coloridas que se refletiram nos pingos d’água, cores estas que são o resultado da reflexão de tudo que há ao derredor deste pingo d’água. Ele aparece quando a luz solar passa pela refração de gotículas de água, isto é, quando os raios de luz são refletidos e no reflexo mudam o ângulo da sua linha reta ao encontrarem os minúsculos espelho-d’água e nesta mudança de direção vários raios de luz cruzam-se entre si e seus tons de cores iniciais, misturados com outros tons coloridos transformam-se em nova cor no ponto de cruzamento dos feixes brilhantes.

O espectro de cores pode surgir quando minúsculas porções de águas estão suspensas na atmosfera, ou são arremessadas pela força da queda de cachoeiras - e até num tanque de lavar roupas, cena incorporada em minha memória, observada em meus áureos tempos de criança no quintal em que eu vivi a minha infância.

A faixa multicolorida tem as seguintes cores: vermelho, laranja, azul, anil ou índigo, e violeta.

Ao ler a Bíblia, precisamos levar em conta que não existia o conhecimento da Ciência que existe hoje. O escritor observou o fenômeno meteorológico e o descreveu como "o arco'. Acredito que os cientistas incorporaram o "íris" porque trata-se de um fenômeno ótico. Então, fizeram uma associação com a íris do olho humano, que também é multicolorida, tal qual a maravilha extraordinária que Deus criou sobre as nossas cabeças.

Temos o relato bíblico sobre a origem do arco-íris no capítulo 9 e versículo 13 do livro de Gênesis, quando ele é apresentado como um pacto entre o Criador e o ser humano. É o primeiro entre outros sinais ou símbolos registrados nas Escrituras Sagradas. Exemplos: o pão e o vinho representam a Ceia do Senhor e a água representa o batismo.

O arco-íris era e ainda é um sinal visível da eterna promessa que Deus fez com os habitantes da terra. É o sinal divino e o memorial perpétuo da sua aliança com o gênero humano, no sentido de nunca mais destruir todos os habitantes da terra com um dilúvio (Gênesis 9.8-17).

É muito interessante saber que o Criador de todo Universo...

Continue a ler neste link .